Pular para o conteúdo principal

A farinata mostrou que tipo de caridade os "espíritas" querem fazer

Uma verdadeira prova de como os "espíritas" entendem como altruísmo se deu há pouquíssimas semanas. Uma doutrina que tem a caridade como dogma mas que em mais de 100 anos não conseguiu resolver as desigualdades sociais no país, não pode ser verdadeiramente altruísta.

João Dória, numa tentativa de melhorar a sua imagem  forjando algum altruísmo, lançou o que ele chamou de farinata, uma gororoba feita com restos de comida, cuja verdadeira intenção é dar um destino menos oneroso à comida que iria ser descartada de forma mais cara. Alegando ser um composto vitamínico, Dória, de início conseguiu enganar a todos. Mas a mentira durou pouco tempo.

Curioso que Dória lançou a farinata na mesma semana em que sua imagem é arruinada, prejuticando sue planos de ser presidente da República. E para piorar a situação, Dória resolveu chamar alguém para cair junto com ele: Divaldo Franco, suposto médium baiano e  uma espécie de "Papa" do "Espíritismo" brasileiro, sendo sua maior liderança.

Não se sabe de quem partiu a iniciativa, se de Divaldo ou de Dória. O que se sabe é que o evento liderado por Divaldo, o Você e a Paz, em sua edição paulista, foi usado como oportunidade para dória lançar a sua gororoba processada. O publicitário que assumiu a prefeitura de São Paulo esteve na Bahia há poucos meses - e recebeu uma merecida ovada - e possivelmente deve ter entrado em contato com Divaldo, combinando o evento.

O estranho alimento foi taxativamente reprovado por nutricionistas e filantropos sérios. Todos garantem que o engodo fere a dignidade humana e sua origem misteriosa coloca o mesmo sob suspeita, podendo haver substâncias que causam doenças graves e que podem até morrer.

Aliás, há uma suspeita que o alimento tenha sido a causa da morte de várias pessoas na instituição Missão Belém, ligada à Igreja Católica. A instituição havia sido o local usado para testes com a farinata. Boatos ainda não desmentidos, nem confirmados, falam que um dos cachorros de Michel Temer, o golpista que saqueou a presidência, morreu após comer o engodo, apelidado de "comoda para cachorro" e "lavagem de porco".

O que é importante observar que o apoio de Divaldo Franco a algo tão reprovável mostra que tipo de caridade os "espíritas", incapazes de transformar a sociedade como um todo, querem fazer, sempre tratando o povo pobre como inferior e não merecedor dos mesmos direitos que as outras classes sociais. 

Bom destacar que os "espíritas" acreditam que os pobres são a reencarnação dos maus, o que vai contra a doutrina original, que não permite o falso testemunho, alegando que cada pessoa se encontra em uma situação particular - sem essa de "resgates coletivos", tendo que ser observados os contextos e o "currículo" de encarnações para se definir como será o destino do indivíduo.

Por acreditar que os pobres são os maus que retornaram, os "espíritas" optam por um conservadorismo enrustidamente sádico que pretende tratar o povo pobre com inferioridade, reservando para eles apenas uma caridade paliativa que os faça aceitar o sofrimento que nunca é cessado. É importante lembrar que os "espíritas" estão cada vez mais entusiasmados com a medieval Teologia do Sofrimento, que ajuda a dar um caráter positivo ao seu egoísmo prático.

Portanto, a mascara do "Espiritismo" brasileiro cai definitivamente. Com total incompetência para realizar transformações  sociais, decide apoiar um projeto duvidoso de alguém ainda mais duvidoso, selando o macabro acordo entre João Dória e Divaldo Franco, que juntos vem as suas imagens ruírem definitivamente, mostrando que nenhum dos dois é capaz de eliminar as desigualdades crônicas de nossa injusta sociedade.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Vai ficar complicado para Divaldo Franco após o caso da farinata de João Dória

Embora todos estão com um cuidado detalhado para tentar proteger Divaldo Franco de sua reputação após ceder o evento que lidera, o "Você e a Paz" para o lançamento do estranho alimento conhecido como "farinata", não há um argumento lógico que preserve toda a mitologia construída em torno do líder "espírita" e suposto médium.
Analisamos algumas hipóeteses que poderiam servir de justificativa para alguém considerado como uma divindade viva, com embutidas qualidades de sabedoria perfeita e bondade infinita, embora a prática tenha provado que tais qualidades senão inexistentes, residem no suposto médium de forma rudimentar.
Vamos imaginar algumas situações e verificaremos que em nenhuma delas Divaldo consegue salvar a sua reputação de "perfeição máxima", tendo se conformar com o prestígio de uma mera liderança que é simpática a seus seguidores.
1. Divaldo não conhecia João Dória e sua farinata: - Mito derrubado: o de paranormal conhecedor de tudo
Div…