Pular para o conteúdo principal

Forma deturpada do Espiritismo enfraquece cada vez mais na internet. Fora dela, ainda segue com plena força

Se depender da internet, espíritos como Bezerra de Menezes, "André Luíz", Emmanuel, Yvonne Pereira, Chico Xavier e palestrantes como José Medrado e Divaldo Franco, terão que fazer seu proselitismo para as paredes. Os principais deturpadores da Doutrina Espírita e seus similares menos famosos estão comendo a poeira lançada por inúmeros debates que pretendem devolver o caráter científico original à Doutrina Espírita. 

A tarefa ainda é árdua, pois mesmo entre os críticos desses totens e dos abusos cometidos pela FEB (Federação "Espírita" Brasileira, responsável pela deturpação), há os que desejam poupar um e outro aspecto da deturpação, sobretudo o caráter de religiosidade (no mesmo sentido que as religiosidades católica e protestante). Mas mesmo à conta-gotas, os avanços são perceptíveis.

Claro que os espiritólicos, nome que dou aos defensores e difusores da deturpação espírita, ainda são fortes na rede. Sites tentam inclusive forjar teses "cientificas" para tentar provar a falsa veracidade de alguns dogmas, como a presença de Emmanuel na codificação (na verdade foi um xará, ideologicamente oposto ao obsessor de Chico Xavier) e a absurda teoria que diz que Xavier foi Kardec reencarnado, o que as obras da codificação kardeciana provam de maneira clara e sem qualquer tipo de hesitação ou contradição, que é impossível.

Mas os fóruns sobre Espiritismo intensificam cada vez mais o combate a essas tolices espiritólicas que tentam provar absurdos, na tentativa de transformar o Espiritismo, que nasceu ciência, em uma religião dogmática como as outras já são. Mas infelizmente, fora da internet, o espiritólicos ainda encontram a sua total força.

As mídias televisiva e impressa ainda definem como "Espiritismo" esta forma deturpada, elegendo ainda o médium católico Chico Xavier, como símbolo máximo desse "Espiritismo". Centros "espíritas" (muitos filiados a FEB ou sustentados por ela) continuam a fazer palestras difundindo erros doutrinários ou se limitando a fazer explanações prolixas sobre amor ou temas sentimentais.

A única oportunidade conhecida de recuperação doutrinária que fugia do Espiritolicismo, existia na TV Focus, do município de Friburgo, estado do Rio de Janeiro, através do programa Terceira Revelação, apresentado pelo pesquisador espírita José Manoel Barboza. Com morte de Barboza, o programa foi extinto e a sua missão acabou confinada ao Centro Espírita Friburguense, que tinha o pesquisador como diretor-presidente e um dos pouquíssimos centros em todo o país a buscar a coerência doutrinária, o que deve ser um privilégio para os habitantes de Friburgo.

Mas tirando este caso, infelizmente inativo, fora da internet, a deturpação segue bem forte. Obras no cinema e na TV são ainda produzidas para continuar a espalhar a deturpação, infelizmente com aceitação maciça, sobretudo dos católicos que pensam que são "espíritas", sustentadores da permanência da versão deturpada. 

Mas na internet o combate a deturpação segue cada vez mais forte, mesmo com reações. Os centros "espíritas" estão combativos e até lançaram uma espécie de "contra-reforma", mandando abrir palestras com frases e textos atribuídos a  Emmanuel e exaltar ainda mais os seus totens como "enviados diretos de Deus", para que não possam ser contestados. Uma prova de fé cega tão frequente nos outros credos e que só atrapalha a compreensão real do mundo que os espíritos sérios que participaram dos estudos que resultaram na codificação nos mostraram. Ou pelo menos tentaram mostrar.

Continuemos com os debates na internet. E que um dia os totens espiritólicos como os citados no começo deste texto possam ser eliminados definitivamente da historiografia espírita, sem chance de serem associados novamente à doutrina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Adversários tradicionais e críticos recíprocos uns dos outros, "espíritas" e neo-pentecostais se unem na onda de ódio conservador

Um fenômeno interessante acontece no Brasil de hoje. Dois grupos religiosos conservadores, mas que se acostumaram a criticar um ao outro, resolveram se unir, sem assumir nem perceber, sob o mesmo ponto de vista equivocado nesta triste onda de ódio neo-conservador. Bom lembrar que ambos se consideram "do bem" e falam "em nome do amor".
Tanto os espíritas (de Allan Kardec), os "espíritas" (de Chico Xavier) e os neo-pentecostais e alguns evangélicos em geral, assumiram uma postura altamente preconceituosa contra pessoas que defendem ideais progressistas e uma maior justiça social. 
Não raramente agem de forma agressiva, lançam mão de calúnias e difamações e demonstram indispostos a qualquer foma de diálogo, acusando seus opositores sob o mais repugnante falso testemunho, provando que dependendo dos interesses, as lições de Jesus, mestre de ambas as tendências, podem ser literalmente jogadas no lixo.
Para legitimar sua agressividade ignorante, resultante da …