Pular para o conteúdo principal

"Espíritas" brasileiros seguem Roustaing e não sabem

A má compreensão do Espiritismo Original acabou rendendo várias interpretações erradas. Noque deveria ser uma coisa só se desmembrou em várias "linhas de pensamento" pois ninguém está disposto a analisar como o codificador Allan Kardec havia feito em seu tempo.

No Brasil, preferiram não romper com o igrejismo cristão dominante e a doutrina já nasceu misturada, com muitos enxertos católicos que acabaram atraindo espíritos e encarnados que seguiam  Igreja dos padres, transformando o "Espiritismo" em um Catolicismo sem batina e com reencarnação.

Mal sabem todos que quem contribuiu muito para facilitar essa gororobização espírita foi o advogado francês Jean Baptiste Roustaing, o católico que queria dar pitaco e alterar o Espiritismo. Após a morte de Allan Kardec, os continuadores da doutrina, chateados por tanto estudo, interromperam os trabalhos de pesquisa e deixaram uma porta aberta para que Roustaing fizesse os seus estragos.

Os brasileiros adoraram Roustaing. Com isso se achavam dispensados de romper com o Catolicismo vigente e criar seu "Espiritismo de mesa branca", ganhando a permissão de governantes para escapar de possíveis perseguições causadas pela confusão da doutrina com magia oculta. 

Feito o estrago, acabou surgindo uma polêmica que fez com que os pseudo-espíritas brasileiros (da linha FEB/ChicoXavier) descartassem o nome de  Roustaing (mas não as suas ideias) e retomassem o nome de Allan Kardec (descartando as ideias "complicadas" deste). 

A FEB pediu para que Chico Xavier traduzisse o Roustainguismo em suas obras, para que o advogado francês sem carisma pudesse ser descartado e criou-se uma ideia absurda e anti-doutrinária de que o médium mineiro seria a "reencarnação do professor lionês" para que as ideias de Roustaing pudessem ser atribuídas a Kardec, favorecendo a atração de muitos fiéis para "aumentar o rebanho". Uma baita mentira que ajudou a popularizar o ulttra-deturpado "Espiritismo" brasileiro.

Como o "espíritas" são desestimulados a pensar, confundindo "fé raciocinada" com aceitação cega do que é dito pelas lideranças, listo aqui alguns dogmas "espíritas" que ninguém sabe que são criações da mente de Jean Baptiste Roustaing, e que entram em sério choque antagônico com o que está escrito nas obras de Allan Kardec, este muito bajulado e nada estudado. Vamos aos pontos:

- Para Roustaing, Espiritismo é sim uma religião, no sentido de seita, igreja ou conjunto de dogmas construídos pela fé, que deve se sobrepor à lógica. Um absurdo que contraria todo o objetivo e empenho de Allan Kardec em transformar a doutrina em uma ciência que estuda a não-matéria.

- A vida na Terra é de sofrimento, enquanto a vida espiritual é de plenitude para os bons (ideia que reforça a Teologia do Sofrimento católica defendida pelo discípulo roustainguista Chico Xavier). Na verdade tanto a vida material como a não-material são de igual importância para a evolução espiritual.

- Há o céu (colônias espirituais) e o inferno (umbral). A terra serve como purgatório. Isso é falso, pois não existe lugares delimitados para o punição ou para a recompensa.

- Jesus é uma divindade. Mesmo que a maior parte dos "espiritas" brasileiros discordem da imaterialidade do corpo de Jesus, aceitam a sua divinização e sua pureza espiritual, se esquecendo que espíritos puros não reencarnam em planetas de provas e expiação como a Terra.

- Maria, mãe de Jesus é a "Nossa Senhora", gerou seu filho virgem e possui importância para o "Espiritismo" como espírito superior. As obras de Kardec negam isso.

-  A ideia de que Jesus era o Salvador e o nonsense de que teria se oferecido para morrer para salvar a humanidade foi absorvida por Roustaing. Mas na verdade, Jesus foi um ativista social e foi condenado por motivos políticos. A salvação proposta por Jesus deveria ser  manifestada pela iniciativa dos admiradores do mestre em seguir suas recomendações.

- Espíritos podem regredir (inspirada no mito dos "Anjos Caídos" e observado na hipótese do "intelectual falido" citada por Xavier no Pinga Fogo, em 1971), o que para o Espiritismo original é impossível. O saber intelectual faz parte do espírito e se torna uma bagagem inviolável a levar por muitas reencarnações, sendo extremamente útil às mesmas.

São estes os pontos principais. Convém lembrar que para a FEB, que controla grande maioria dos centros "espíritas" pelo país, a aceitação das ideias de Roustaing é cláusula pétrea (lei cuja alteração é extremamente proibida). 

Mas como a personalidade e a aparência de  Roustaing são um mistério, o advogado de Bordeaux não possui carisma para atrair e comover fiéis para a doutrina, preferindo criar uma tese confusa que, misturada faz com que muitos acreditem que as ideias roustainguistas são de autoria de Allan Kardec, aproveitando o desinteresse da maioria por estudos mais aprofundados da Doutrina Espírita.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Adversários tradicionais e críticos recíprocos uns dos outros, "espíritas" e neo-pentecostais se unem na onda de ódio conservador

Um fenômeno interessante acontece no Brasil de hoje. Dois grupos religiosos conservadores, mas que se acostumaram a criticar um ao outro, resolveram se unir, sem assumir nem perceber, sob o mesmo ponto de vista equivocado nesta triste onda de ódio neo-conservador. Bom lembrar que ambos se consideram "do bem" e falam "em nome do amor".
Tanto os espíritas (de Allan Kardec), os "espíritas" (de Chico Xavier) e os neo-pentecostais e alguns evangélicos em geral, assumiram uma postura altamente preconceituosa contra pessoas que defendem ideais progressistas e uma maior justiça social. 
Não raramente agem de forma agressiva, lançam mão de calúnias e difamações e demonstram indispostos a qualquer foma de diálogo, acusando seus opositores sob o mais repugnante falso testemunho, provando que dependendo dos interesses, as lições de Jesus, mestre de ambas as tendências, podem ser literalmente jogadas no lixo.
Para legitimar sua agressividade ignorante, resultante da …