Pular para o conteúdo principal

O Golpe comprova o fracasso do "Espiritismo" brasileiro

Os "espíritas" brasileiros vivem dizendo que estamos entrando em uma época de progresso, de avanços, de transformação. Trancados em seus templos (centros) e lendo obras surreais cheias de erros e mentiras, os "espíritas" há tempos se encontram divorciados do mundo real e pretendem julgar a realidade com base em suas ilusões igrejeiras, não raramente invertendo conceitos e soluções.

Eis que um fato ocorrido na manhã do dia 31 de agosto, que depôs, sem comprovação de crimes, uma presidente honesta para colocar corruptos e bandidos no lugar, prova que do contrário que "espíritas" dizem, estamos na verdade caminhando par trás, jogando na incineradora todas as lições que nos fariam melhores do que somos. Estamos dando um gigantesco passo para o passado, retomando valores nocivos vigentes na República Velha e no Brasil Colônia, justamente as épocas onde o "Espiritismo" brasileiro, com seus enxertos católico-medievais, se desenvolvia.

Ver entusiastas das teses que supõem a evolução humana, como Divaldo Franco, sorrindo dá nojo. Se compararmos o que os "espíritas" acreditam com a realidade é notável o caráter hipócrita da versão deturpada da doutrina, que descartou por completo a racionalidade para poder sobreviver num país onde o Catolicismo (e agora, o Protestantismo) influi no poder. Quem conhece a história do "Espiritismo" no Brasil, sabe do que eu estou falando.

Há uma violenta disparidade entre a realidade e o que os "espíritas" acreditam. Inventaram um troço de "Data Limite" baseado em um sonho do hiper-estimado médium Chico Xavier, um beato católico fantasiado de "cientista espírita", que não passa de uma adaptação da lenda do Apocalipse, que segundo fontes seguras, nem fazia parte da Bíblia original. Quase todo o conteúdo de Data Limite entra em contradição com o que acontece na realidade, apesar do empenho de muita gente em inventar teses que o "comprovam".

Na verdade não só não estamos evoluindo como estamos regredindo. O isolamento está nos transformando em seres odiosos e teimosos. O Fascismo cresce assustadoramente no Brasil. A ganância empresarial parece não ter freios e corremos o alto risco de abolir a Lei Áurea (tao bajulada pelos "espíritas"), ressuscitando a escravidão. 

E o mais grave: uma presidente honesta é tirada do poder, através de um golpe escancarado (negado apenas pelos que concordam com o golpe), por corruptos que queriam ver as investigações sendo engavetadas. E muita coisa ruim vem por aí pois faz parte do repertório ideológico dos políticos que agora tomam o poder.

Tudo para os "espíritas" se trancarem em seus centros para fingir que estamos nos evoluindo, usando um reles sonho de um beato católico como "comprovação" disto. É querer fugir da realidade e substituí-la por um fantasioso universo paralelo que serve como um narcótico a anestesiar as nossas mágoa pela realidade que nunca se resolve. Não se resolve porque nós não queremos que se resolva. Fugir dela exige muito menos esforço.

Para mim, é escancarado o fracasso do "Espiritismo" brasileiro, reduzido a mero entretenimento para mentes ociosas e falsa tábua de salvação para quem se recusa a melhorar a realidade. O otimismo de palestrantes "espíritas" só serve mesmo como analgésico. Como ciência a diagnosticar a realidade, o "Espiritismo" comprovou ser um violento fracasso. Quem se apoiar nele vai direto para o despenhadeiro. Sem chance de retorno.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Adversários tradicionais e críticos recíprocos uns dos outros, "espíritas" e neo-pentecostais se unem na onda de ódio conservador

Um fenômeno interessante acontece no Brasil de hoje. Dois grupos religiosos conservadores, mas que se acostumaram a criticar um ao outro, resolveram se unir, sem assumir nem perceber, sob o mesmo ponto de vista equivocado nesta triste onda de ódio neo-conservador. Bom lembrar que ambos se consideram "do bem" e falam "em nome do amor".
Tanto os espíritas (de Allan Kardec), os "espíritas" (de Chico Xavier) e os neo-pentecostais e alguns evangélicos em geral, assumiram uma postura altamente preconceituosa contra pessoas que defendem ideais progressistas e uma maior justiça social. 
Não raramente agem de forma agressiva, lançam mão de calúnias e difamações e demonstram indispostos a qualquer foma de diálogo, acusando seus opositores sob o mais repugnante falso testemunho, provando que dependendo dos interesses, as lições de Jesus, mestre de ambas as tendências, podem ser literalmente jogadas no lixo.
Para legitimar sua agressividade ignorante, resultante da …