Pular para o conteúdo principal

O inevitável fim do "Espiritismo" brasileiro

A medida em que a sociedade desenvolve a sua capacidade de discernimento, muitas coisas vão se revelando. Se pensavam que aquilo que os brasileiros se acostumaram a chamar equivocadamente de "Espiritismo" iria revelar coisas boas neste ínterim, pode ir tirando o cavalinho da chuva. A máscara linda da seita dos papalvos definitivamente cai e a verdadeira face mostrada nada tem de linda.

Foram mais de 100 anos de muita ilusão, dogmas contraditórios, piegas ilusões, racionalidade muito mal utilizada e lideranças que se consideravam as maiores do universo. Neste longuíssimo tempo, a doutrina que se vendia como "revolucionária" nada fez pela sociedade, que está cada vez pior, mais ignorante, mais egoísta e completamente irresponsável, capaz de gerar os piores danos, como está sendo comprovado nos últimos anos. 

O Brasil se tornou um dos países mais atrasados do mundo e desejar que governe o planeta, como queria uma de suas maiores lideranças, é de uma imensurável tolice. Mesmo que a deturpação tenha começado ainda na França, com o irresponsável Jean Baptiste Routaing e trazida, já deturpada, para o Brasil pelo político Bezerra de Menezes, podemos responsabilizar Chico Xavier, o maior símbolo da seita dos papalvos, pelos danos feitos à doutrina. Xavier agiu como vândalo e arruinou de forma violenta aquilo que deveria ser uma ciência da não-matéria, hoje convertida em uma alucinada igreja de dogmas irracionais, autêntica fonte de ilusões.

Mas pelo jeito as pessoas vão aos poucos percebendo os erros graves presentes no "Espiritismo" brasileiro e se afastam aos poucos de obras, de centros "espíritas" e de lideranças. Seus absurdos, suas contradições e o jeito piegas com que trata a maneira de como devemos agir diante dos desafios do cotidiano, mostram que a seita de papalvos nunca passou de uma farsa. Farsa completamente oposta ao Espiritismo original surgido após as pesquisas sérias de Allan Kardec, intelectual reduzido hoje a mero objeto de bajulação pelos "espíritas" brasileiros.

Por outro lado, no Brasil, sua maior liderança, o superestimado Chico Xavier, acaba de ser desmascarada após profunda análise de suas obras, que foram escritas de fato pelo próprio "médium", e não ditadas por espíritos, pois o conteúdo e a redação sempre foram os mesmos, seja qual for o espírito supostamente atribuído como "autor". A desculpa esfarrapada de "linguagem universal do amor" contradiz violentamente a doutrina original, codificada por Kardec e distorcida por Roustaing (este sim o enrustido mestre dos brasileiros). Significa que, para brasileiros, traços de personalidade não permanecem no espírito.

Uma seita liderada por um farsante não poderia ser avançada nem durar muito. Até que durou demais. Mais de 100 anos de ludibriamento e muitas almas enganadas. Mais de 100 anos de completa incompetência na missão de transformar a humanidade para melhor. Muito tempo - e muito dinheiro - perdido que poderia ter sido gasto de forma mais responsável e útil. O "Espiritismo" brasileiro não apenas jogou no lixo as oportunidades perdidas como resolveu também se jogar no lixo como um verdadeiro fracasso doutrinário, incapaz de fazer algo relevante para o mundo.

O "Espiritismo" brasileiro acaba de entrar na UTI. Seu atestado de óbito já está assinado. Seu fim está certo. Sem uma nova liderança e com a credibilidade abalada por anos de deturpação, de ilusão e de erros dogmáticos graves e contraditórios, a seita não tem mais condições de sobreviver. Seu alardeado suposto altruísmo se mostrou precário e ineficaz. Há mais de 100 anos nunca sai dos 2% de seguidores declarados. Seu fim se torna definitivamente uma viagem sem volta.

Diagnóstico: Confirmada a morte do "Espiritismo" brasileiro. Com um detalhe: sem qualquer chance de reencarnação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Adversários tradicionais e críticos recíprocos uns dos outros, "espíritas" e neo-pentecostais se unem na onda de ódio conservador

Um fenômeno interessante acontece no Brasil de hoje. Dois grupos religiosos conservadores, mas que se acostumaram a criticar um ao outro, resolveram se unir, sem assumir nem perceber, sob o mesmo ponto de vista equivocado nesta triste onda de ódio neo-conservador. Bom lembrar que ambos se consideram "do bem" e falam "em nome do amor".
Tanto os espíritas (de Allan Kardec), os "espíritas" (de Chico Xavier) e os neo-pentecostais e alguns evangélicos em geral, assumiram uma postura altamente preconceituosa contra pessoas que defendem ideais progressistas e uma maior justiça social. 
Não raramente agem de forma agressiva, lançam mão de calúnias e difamações e demonstram indispostos a qualquer foma de diálogo, acusando seus opositores sob o mais repugnante falso testemunho, provando que dependendo dos interesses, as lições de Jesus, mestre de ambas as tendências, podem ser literalmente jogadas no lixo.
Para legitimar sua agressividade ignorante, resultante da …