Pular para o conteúdo principal

"Espíritas" colocam a Bíblia acima dos livros de Kardec e ignoram obra básica

Apesar de se assumirem como "espíritas", de se rotularem como "kardecistas" e de falarem em nome do "Espiritismo", o que se observa no Brasil é uma outra filosofia, muito diferente da de Kardec. O que os brasileiros conhecem como "Espiritismo" se tornou uma seita confusa, tão alienada quanto outras crenças, que usa a ciência somente para autenticar as sandices embutidas nelas e que apesar de fingir romper com o religiosismo católico, faz justamente o contrário, aproveitando ao máximo o que for de interessante na santa igreja dos padres.

O "Espiritismo" brasileiro, que de tão catolizado podemos chama-lo de Espiritolicismo, ou simplesmente de Igreja Espírita, fala muito em Kardec, cita o nome dele aos quatro cantos. Mas utilizar as obras escritas pelo professor francês, que é bom, nada. Kardec virou uma espécie de cartório, um meio de autenticar o confuso sincretismo que é colocado como enxerto em algo que deveria ser científico e racional.

Os espiritólicos (ou pseudo-espíritas), na verdade, elegeram a Bíblia, sobretudo o Novo Testamento, como seu manual de instruções. Os livros de Kardec até são lidos, principalmente o Evangelho Segundo o Espiritismo, por causa das referências ao Novo Testamento. Mas são lidos sem a dedicação necessária, engolidos feito um hambúrguer comido às pressas.

Se esquecem os pseudo-espíritas que o livro Evangelho Segundo o Espiritismo não é uma "tradução espírita" para o Novo Testamento. O E.S.E. é uma análise, quase uma contestação, onde o codificador, com a ajuda de vários espíritos, tenta, usando a lógica, estudar as passagens interessantes da vida de Jesus, evitando o igrejismo, e se limitando ao que considera útil para o aprendizado da humanidade. Quem acha que o E.S.E. é uma tradução do Novo Testamento não leu direito e está forçando a barra para que Kardec seja considerado um líder religioso, como um Papa.

E olha que o mesmo E.S.E. tem um capítulo muito "perigoso" para os devotos de "São" Chico Xavier, alheios a qualquer forma de raciocínio e análise: O CUEE, O Controle Universal do Ensino dos Espíritos, onde o codificador ensina a se prevenir contra mensagens de comunicações que possam ser nocivas, tolas, ou simplesmente equivocadas. Os pseudo-espíritas adoram pular esta parte "complicada" do livro. Interessa mesmo é a pieguice irresponsável do amor sem raciocínio.

Para os espiritólicos, a associação do E.S.E. com o Novo Testamento (conhecido também como "evangelho"), é muito mais importante até mesmo que o conteúdo do livro de Kardec. Afinal, mesmo para os que se fingem "espíritas da gema", aq Bíblia e mais ainda o "Evangelho", ainda é o mais importante. Não por acaso, os espiritólicos são conhecidos como "espíritas evangélicos".

Obra realmente básica é ignorada pelos espíritas evangélicos

E esse equívoco é ainda mais agravado pelo desprezo mais que solene ao livro "O que é Espiritismo", escrito por Kardec para apresentar a doutrina. Este livro, que a FEB nem gosta de reeditar, toca em muitos pontos delicados aos interesses dos líderes "espíritas" brasileiros. Como estes pretendiam transformar o Espiritismo em uma igreja, qualquer tentativa de intelectualização da doutrina soa desagradável, pois todos sabemos que religiões são excelentes instrumentos de dominação, exploração e de satisfação dos interesses privilegiados de seus líderes.

E por isso mesmo, manter o igrejismo consagrado antes por outras seitas parece bem mais conveniente no Brasil, cujo povo, formado por descendentes de mendigos, meretrizes e meliantes expulsos de Portugal, já possui o tradicional hábito de nunca raciocinar e de desprezar e criticar quem raciocina. Enfim um terreno fértil para a exploração feita pelos líderes religiosos. O "Espiritismo" brasileiro não iria ficar fora dessa e tome mais dos mitos bíblicos para desviar o foco dos valores intelectuais.

E nada melhor que embutir as ilusões do Catolicismo na versão brasileira da doutrina. É bem confortável para quem adora ilusões religiosas. E mantê-las no "Espiritismo" brasileiro é bom porque não se rompe com o que se acreditava antes.

Elegendo a Bíblia como "livro essencial", dá se a ilusão de que "Deus em pessoa" está "gerenciando" o Espiritismo, já que para os religiosos que acreditam no "livro sagrado", o mesmo foi "escrito" por "Deus" através de "inspiração divina", algo que os pseudo-espíritas também fazem com Kardec, inventando que as obras da codificação também foram "inspiradas".

E nesse igrejismo, a doutrina mais confunde que esclarece além de repetir com os seus seguidores o proselitismo alienado que mantém tudo como está, desde que se coloque o (falso) amor que acredita que um monte de absurdos irão "salvar" o planeta. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Adversários tradicionais e críticos recíprocos uns dos outros, "espíritas" e neo-pentecostais se unem na onda de ódio conservador

Um fenômeno interessante acontece no Brasil de hoje. Dois grupos religiosos conservadores, mas que se acostumaram a criticar um ao outro, resolveram se unir, sem assumir nem perceber, sob o mesmo ponto de vista equivocado nesta triste onda de ódio neo-conservador. Bom lembrar que ambos se consideram "do bem" e falam "em nome do amor".
Tanto os espíritas (de Allan Kardec), os "espíritas" (de Chico Xavier) e os neo-pentecostais e alguns evangélicos em geral, assumiram uma postura altamente preconceituosa contra pessoas que defendem ideais progressistas e uma maior justiça social. 
Não raramente agem de forma agressiva, lançam mão de calúnias e difamações e demonstram indispostos a qualquer foma de diálogo, acusando seus opositores sob o mais repugnante falso testemunho, provando que dependendo dos interesses, as lições de Jesus, mestre de ambas as tendências, podem ser literalmente jogadas no lixo.
Para legitimar sua agressividade ignorante, resultante da …