Pular para o conteúdo principal

"Espíritas" brasileiros são materialistas

Por mais que batam no peito dizendo que são "espíritas" (a FEB ordena que assumam publicamente a doutrina que não conseguem entender), os espiritólicos, seguidores desta forma deturpada de "Espiritismo" à brasileira, são na verdade bem materialistas. Vários indícios mostram que, mesmo tendo uma certa aceitação do que seja o mundo espiritual, esses seguidores da deturpação querem mesmo é ficar na matéria. Alguns indícios:

- A preocupação exclusiva na caridade material. Os espiritólicos só conhecem a caridade material, aquela que ajuda dando coisas, objetos que na verdade não passa de um benefício perecível, que dura por um tempo limitado. A caridade através da palavra, que eles entendem como "caridade espiritual" se limita apenas a consolar sofredores, sugerindo uma suposta felicidade futura. A verdadeira caridade moral, que inclui o desenvolvimento do intelecto e não aceitação de teses absurdas é ignorada pelos seguidores desta forma deturpada de "Espiritismo".

- Acreditam em sinais materiais, como o éter do suposto Bezerra de Menezes, como formas de comunicação de entes "superiores". A codificação confirma que superiores não usam a matéria, sendo a manipulação material exclusividade de espíritos inferiores, sejam eles bons ou maus.

- Constroem a ideia de mundo espiritual com as características do mundo material, vide o que é descrito no livro de ficção Nosso Lar, de Chico Xavier, atribuído ao fictício espírito que atende pelo nome de "André Luiz".

- Creem que centros estejam protegidos com "cercas elétricas" e outros apetrechos para impedir a entrada de espíritos supostamente maus. Também acreditam que Chico Xavier tenha lançado uma senha de identificação, achando possível haver uma barreira que espíritos não pudessem ouvir ou ler a tal senha, o que é um absurdo. Não há barreira para que espíritos ouçam segredos.

- Acreditam que operações "espirituais" sejam operadas por superiores. Como lhes falei, somente inferiores interagem com a matéria. E de qualquer forma, a medicina terrena nunca deve ser dispensada, já que as operações e consultas "espirituais" não possuem comprovação científica, sendo, na maioria dos casos, indigno de confiança.

- Para muitos, espíritos se alimentam, dormem, transam e fazem tudo que é feito e mundos materiais. Outro absurdo facilmente contestado pela doutrina.

- Pensam ser necessário o uso de coisas materiais (como pomadas, água "fluidificada", panos brancos", jarras de vidro, etc.) em tratamentos espirituais para que possam dar certo. Negativo. Apenas a sintonia com pensamentos elevados e o desenvolvimento intelectual bastam para que uma pessoa possa se sentir bem espiritualmente. Uma atividade relaxante já é suficiente.

- Acreditam que o perispírito leva não apenas as impressões psicológicas do espírito, mas também as materiais, o que soa um absurdo. Não é porque o perispírito seja semi-material que teria que carregar também impressões materiais, pesadas para se levar neste estado.

Além disso tudo, espiritólicos ignoram que existem estados da matéria que ainda não temos a condição de conhecer, pois relatam os cientistas sérios que o que definimos como matéria, corresponde apenas a 5% dela, o que significa que há  ainda muito o que aprender sobre os mundos materiais, seus estados e suas dimensões. É até provável que o mundo supostamente espiritual imaginado pelos "espíritas" deturpadores seja na verdade outros tipos de matéria, um pouco menos densos que a nossa, mas ainda grossos e pesados para que sejam considerados "mundo espiritual".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os diversos tipos de espíritas

De fato, o Espiritismo não possui divisões. Ou pelo menos não deveria ter. Mas como os estudos de Kardec não foram continuados e em seu lugar apareceu a fé cega de um religiosismo irresponsável, muitas linhas acabaram surgindo, já que cada espírita ou pseudo-espírita entendeu de defender seu ponto de vista pessoal, sem usar o raciocínio para analisar friamente os pontos da doutrina. Resultado: vários tipos de "espíritas" começaram a aparecer, cada um com seu interesse próprio.
Listo aqui os tipos de espíritas e pseudo-espíritas que existem com base no que observei. Cada tipo é seguido por um comentário meu. Antes que gere qualquer polêmica, eu repito: é com base em observações que eu fiz. Apesar de eu ter usado a lógica para definir cada uma, pode aparecer alguém que discorde. Que cada um faça a sua lista. Agora, vamos a minha lista.
Espírita Original, Espírita Verdadeiro ou Espírita Kardecista - São os espíritas originais ou verdadeiros, fiéis às obras da codificação e que pr…

Robson Pinheiro exalou ódio onde deveria haver amor

Há um lema nas religiões cristãs que pede para não julgar. Robson Pinheiro, médium que escreveu vários livros de relativo sucesso, resolveu ignorar esta máxima e escreveu livros que demonstram um ódio irresponsável anti-esquerda acusando de criminosos, sem análise, sem provas e sem ouvir o outro lado, políticos democráticos, mas alheios a suas convicções pessoais, numa atitude de fazer Jesus de Nazaré ficar com imensa vergonha.
Após escrever o verdadeiro lixo literário O Partido, na tentativa de "jogar na conta dos espíritos" a mentira infelizmente difundida e repetida, nos moldes do nazista Goebbels, que criminaliza os integrantes do Partido dos Trabalhadores e aliados. Este livro já foi o suficiente para dar a sua "contribuição divina" para estragar a reputação da esquerda e Pinheiro quis mais. Escreveu outro que sugere que o Foro de São Paulo, grupo que reúne os esquerdistas do estado, seja uma máfia. 
Robson Pinheiro, além de demonstrar completo desconheciment…

Adversários tradicionais e críticos recíprocos uns dos outros, "espíritas" e neo-pentecostais se unem na onda de ódio conservador

Um fenômeno interessante acontece no Brasil de hoje. Dois grupos religiosos conservadores, mas que se acostumaram a criticar um ao outro, resolveram se unir, sem assumir nem perceber, sob o mesmo ponto de vista equivocado nesta triste onda de ódio neo-conservador. Bom lembrar que ambos se consideram "do bem" e falam "em nome do amor".
Tanto os espíritas (de Allan Kardec), os "espíritas" (de Chico Xavier) e os neo-pentecostais e alguns evangélicos em geral, assumiram uma postura altamente preconceituosa contra pessoas que defendem ideais progressistas e uma maior justiça social. 
Não raramente agem de forma agressiva, lançam mão de calúnias e difamações e demonstram indispostos a qualquer foma de diálogo, acusando seus opositores sob o mais repugnante falso testemunho, provando que dependendo dos interesses, as lições de Jesus, mestre de ambas as tendências, podem ser literalmente jogadas no lixo.
Para legitimar sua agressividade ignorante, resultante da …